O tempo no nosso sistema linear não volta no passado, felizmente. Parece que foi ontem e foi mesmo! O ano de 2015 chegou em sua última cena com a explosão de fogos em todos os lugares deste mundo de belezas naturais indescritíveis.

psicologo2Acenamos com caras de sorrisos amarelos para o ano que passou, que já faz parte dos laudos dos erros e acertos da história do seres vivos do planeta Terra. Minha memória não vai esquecer as lições que aprendi e os sentimentos que fluiram das boas e más impressões e ações. Não sou adepta da numerologia mas uma curiosidade forte bateu na minha reflexão. Como todo começo de ano, as previsões astrológicas circulam em todo canto, resolvi dar uma espiada no número 2015, 2+0+1+5 = 8. Pois é, o 8 é um número cármico que significa « suportar e pagar », bingo !

Sentada aqui em frente ao meu « eu », resolvi dar uma investigada nos principais fatos que fizeram parte dos contados 365 dias e que construíram uma parte da nossa trajetória.

O bem e o mal andaram de mãos dadas zombando da nossa confiança. Atentados terroristas mortais, guerras e sangue espalhados, uma crise humanitária sem prescedentes nas portas da Europa, catástrofes naturais em série, a classe política nunca esteve tão dividida, temos fortes razões para colocar um ponto final e começar uma nova página com um novo texto.

O Estado Islâmico marcou profundamente os espíritos em 2015 pelos atos bárbaros cometidos. O EI é um dos principais grupos jihadistas, criado em 2013 como uma das ramificações da organização terrorista al-Qaeda no Iraque. Com mais capacidade de recrutamento, mais estrutura e com um território conquistado entre o Iraque e a Siria, ele tem atraído milhares de jovens do mundo inteiro como soldados. Eles estiveram na mira do medo e das lentes das notícias. Foram os responsáveis pelo ataque ao jornal Charlies Hebdo em janeiro onde morreram 12 pessoas, o sanguinário atentado em Paris no dia 13 de novembro, com a morte de 130 pessoas e 350 feridos, a queda de um avião russo no Egito em outubro. Os EUA junto com os aliados, realizaram dezenas de ataques contra o EI. Daech não perdeu a guerra mas viu interromper a progressão das conquistas territoriais, a perda de Kobané na fronteira da Turquia, a queda de Ramadi no Iraque e o recuo significativo na Siria. Além de uma pressão da comunidade internacional determinada a pôr um fim em seu « califado ». E ? A guerra continua…

Por outro lado a ciência deu um grande passo, no dia 29.12 a Organização Mundial da Saúde (OMS) oficializou o fim da epidemia do virus Ebola na Guiné (Africa) e anunciou a primeira vacina experimental contra a febre mortal, responsável por 11300 mortes em vários países africanos. Ponto para o bem !

A pior crise humanitária depois da segunda guerra mundial marcou a sua presença. Milhões de pessoas arriscam as suas vidas para entrarem na Europa, refugiados da guerra e da pobreza tentam conquistar um lugar mais digno. A Alemanha corajosamente assume a liderança em relação ao acolho dos imigrantes perante uma Europa frágil e com medo. Em 2016 os alemães vão dispensar 17 bilhões de Euros para assegurar o apoio e instalações aos refugiados. Quais os países que entrarão no mesmo espírito de solidariedade ? A resposta ainda é uma incógnita.

O Planeta Marte nos fez viajar em outras dimensões além da imaginação. A NASA confirmou que existe água salgada no interior do paneta vermelho, uma mistura de cromato de magnésio e perclorato de sódio. O imaginário voltou com os homens verdinhos de Marte.

O planeta foot também fez gol contra. O FIFAGATE, uma operação realizada pelos EUA na Suíça, em maio, prendeu 7 dirigentes da FIFA, entre os cartolas estava José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Os investigados são suspeitos de corrupção envolvendo um montante de US$ 150 milhões, durante o processo das escolhas das copas do mundo de 2018 (Rússia) e 2022 (Catar). A denúncia afirma que, de 1991 até os dias de hoje, as autoridadades da FIFA se envolveram em vários crimes incluindo fraudes, subornos e lavagem de dinheiro. O escândalo fez o presidente José Blatter pedir demissão. O empresário brasileiro José Hawilla da empresa de marketing esportivo Traffic, devolveu R$ 475 milhões aos EUA para não ser preso. A corrupção começou a ser desmascarada no ano que passou.

Cuba e Estados Unidos se dão as mãos e se reaproximam depois de 54 anos. O ano de 2015 foi marcante para os dois países com a simbólica reabertura oficial da embaixada americana na ilha, em agosto. O embargo americano ainda continua mas segundo John Kerry, primeiro secretário de estado a visitar Cuba, o governo Obama apoio o seu fm. Paz na América.

A Volkswagen teve o seu nome difamado e com razão, no eco do mundo. O escândalo da falsificação de emissões de poluentes em setembro, investigado pelos Estados Unidos da América, comprovaram que 11 milhões de veículos do grupo estavam equipados com um dispositivo que burla os testes de emissão, soltando na atmosfera mais poluentes do que os níveis exigidos. Pegos com a mão na fumaça tóxica.

A COP 21 realizada em dezembro, em Paris, foi um marco importante para a proteção da ecologia. Pela primeira vez na história um acordo para frear as emissões de gases de efeito estufa e o impacto das mudanças climáticas foi assinado por 195 países. O objetivo principal é que a temperatura do planeta sofra uma elevação muito abaixo dos 2°C até o ano de 2100, a mesma temperatura média antes da revolução industrial. Os países ricos se comprometem a bancar US$ 100 bilhões por ano em ações nos países em desenvolvimento entre 2020 e 2025. Vamos ficar de olho antes de aplaudir.

Uma das maiores catástrofes ecológicas do Brasil aconteceu em Mariana (MG), no dia 5 de novembro com o rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Samarco, cujos donos são a Vale e a anglo-australiana BHP. O desastre ambiental causou uma enxurrada de lama que inundou o distrito de Bento Rodrigues na região central de Minas Gerais, contaminando o Rio Doce, 17 pessoas morreram e duas pessoas estão desaparecidas, 11 toneladas de peixes mortos, 15 mil desabrigados. A culpa é de quem ? Prisão ? Crime inafiançável ? Boas questões para reflexão no começo de um novo ano, com novas resoluções.

A vitória do empresário Mauricio Macri nas eleições presidenciais da Argentina, pôs fim a 12 anos de Kirchnerismo no país. Essa é a primeira vez na história desde que se instituiu o voto em 1916, que um candidato civil que não pertence nem ao partido Peronista nem ao Radical Social Democrata, ganha uma eleição. Outra mudança importante do ano foi a derrota do Chavismo na Venezuela com a vitória da oposição nas eleições legislativas.

O pior ano na economia e na política brasileira, sem dúvida, foi o ano que passou. Escândalos de corrupção na Petrobras, a Operação Lava-Jato colocou a boca no trombone e os suspeitos estão presos ou sendo investigados. Os prejuízos chegam a 42 bilhões de reais. A operação deflagrada pela Polícia Federal Brasileira em 17 de março de 2014, investiga um esquema bilionário de desvio e lavagem de dinheiro envolvendo a Petrobras. Muitas cabeças rolaram e vão rolar ainda. Gente importante como o ex-senador José Dirceu, estão presos e muitos supeitos como o presidente da Câmara de Deputados, Eduardo Cunha, estão na mira da justiça. O impeachment da presidente Dilma Rousseff foi aceito na Câmara de Deputados, aguardando os trâmites do Senado. A instabilidade política brasileira é responsável por uma grande parte da queda da economia. Até quando vamos assistir a decadência do nosso país em nome da ganância e do dinheiro fácil e desonesto ? Para não falar da má administração do dinheiro público.

No mundo do cinema, o planeta vibrou com o fenômeno pop « Star Wars – Episódio VII – O despertar da força ». O filme que se passa 30 anos depois do « Retorno de Jedi », além de trazer de volta para a saga os personagens de Harrison Ford (Hans Solo), Carrie Fisher (Princesa Leia) e Mark Hamill (Luke Skywalker), é o primeiro da série produzido pela Disney. Aplausos ! Os apaixonados por Star Wars estão rindo à toa.

Poderia continuar por longas páginas recheadas de fatos e fotos, mas estou chorando mais que rindo. Não foi um ano dos melhores, os homens deixaram folhas da história pintadas de sangue, outras cheias de imaginação e ciência e outras em branco. Muitas recordações do bem e outras do mal, confirmando a lei dos contrários que rege o universo.

« Na luta do bem e do mal é sempre o povo que morre » Eduardo Galeano.

Por Miriam Rey

 

12106701 448491322018137 2369700952814916019 n

 

Jornalista, redatora, responsável da coluna em portugués.