Em um domingo qualquer de setembro nas montanhas de Choex, conheci um Suíço que poderia ser um cidadão do mundo, pelo seu espírito aberto, criador e com uma consciência totalmente ecológica.

Christophe Donnet-Monay é uma destas pessoas que temos o prazer de conversar sobre tudo e nada, deste tipo de ser que sempre ficamos com os ouvidos ligados para descobrir algo novo e interessante. A sua filosofia consiste na autonômia, ou seja consumir o menos possível, plantar e comer do seu póprio jardim, levantando a bandeira do « não » ao consumismo barato, pelo qual a nossa sociedade moderna tem a ânsia quase obsessiva de participar.

10616106 778518858875067 5668475595602109504 n-400Ele faz parte dos agricultores-ecologistas que utilizam a biodinâmica, o método daqueles que querem preservar a « Mãe Natureza » comendo saudável. Além de ser marceneiro e possuir um atelier onde fabrica móveis, chalés e obras de arte.
Christophe vive com a sua esposa, quatro filhos e a mãe, em um lugar montanhoso, misterioso e encantado, onde possui uma imensa floresta e um jardim feito com o mais requintado método da biodinâmica.

Fiquei interessada em saber mais sobre a tal biodinâmica, irmã da orgânica, mas com pontos comuns e outros incomuns.

Baseada na corrente de pensamento Antroposofia, do começo do século xx, seu mentor  é Rudolf Steiner. (1) Segundo ele, a antroposofia é uma ciência do espírito, uma tentativa de estudar, provar e descrever fenômenos espírituais com a mesma precisão e clareza da ciência. Os princípios da antroposofia (2) foram aplicados em diversas áreas, entre elas, a agricultura biodinâmica e a medicina antroposófica.

A biodinâmica consiste em olhar todo o domínio agrícola como um organismo vivo, o mais diversificado e autêntico possível. 1185138 778519908874962 1469922553196293096 n-400Desenvolvido e experimentado pelos agricultores, este método utiliza preparações a base de plantas, esperando ativar ou controlar as « forças cósmicas » dos planetas presentes dentro do solo, com o objetivo de apoiar um bom processo vegetativo e limitar o crescimento de parasitas.

É o uso destas preparações que repousam sobre princípios esotéricos e a consideração do ritmos lunares e planetários, que diferem a agricultura biodinâmica da agricultura orgânica.

A biodinâmica se estende a todas as áreas da agricultura, como a produção de sementes na apicultura, na viticultura ou na jardinagem. Colocada em prática constante nos domínios da viticultura, como a preparação destinadas aos adubos, as pulverizações e as práticas de incineração.

Trabalhando com os ritmos lunares, planetários e zodíacos. O ritmo sinodal : lua crescente e decrescente. O ritmo sideral : dia, flor, fruto e raízes. O ritmo trópico lunar : lua ascendente e descendente. O ritmo anomalístico : apogeu e perigeu e os ritmos dragonísticos : os nós lunares.

A biodinâmica se junta particularmente ao funcionamento biológico do solo e dos vegetais em busca da amelhoração na qualidade dos produtos.

A eficácia deste sistema de produção não difere da agricultura orgânica, os princípios de base são os mesmos, se distinguem no aspecto pseudo-científico da agricultura biodinâmica, ou seja, o conceito de organismos vivos encontram um eco dentro dos trabalhos contemporâneos relativos a agricultura orgânica, tanto uma quanto a outra deseja evitar o esgotamento do solo pela exploração intensa e repetitiva ; evitam a utilização de fertilizantes e pesticidas solúveis naturais ou não, utilizam somente os compostos de substâncias vegetais ou animais suscetíveis de serem decompostos por organismos vivos.

IMG 1513-400Para controlar as doenças, insetos e parasitas a biodinâmica utiliza técnicas de plantas companheiras, ou seja, plantas que ganham força mutuamente pela aproximação, na luta pelos parasitas utiliza infusões;  decocção(ação de ferver as plantas em um líquido, a fim de lhes extrair os princípios ativos) ; estrume ou a preparação de diversas plantas como o absinto, o tansy, phacelia e folhas de tansy ; a raiz forte da cebolinha, o pó da raiz da samambaia e piretro, a madeira de quassia e também substâncias minerais como o oxído de cálcio em pó, o pó de algas calcificadas ou ainda o pó do basalto, o pó de plumas e cerdas de porcos.

Tive fome de comer saudável, escrevendo este texto amigos leitores.

Mas a história ainda não acabou e tenho mais algumas coisas importantes a dizer.

Christophe faz parte de uma Associação chamada Kokopelli, que tem como lema « A liberação da semente e do húmus »

A Associação Kokopelli é uma organização sem fins lucrativos com base na França e ramificações independentes na Itália, Reino Unido, Bélgica, Alemanha e no Brasil. Criada por Dominique y Sofy Guillet em 1999 na França, tem como « semente-mensagem » ou seja, como concepção que as sementes antigas são a única maneira de reduzir a fome e promover a segurança alimentar de uma forma disponível. Desde 1987 um grupo de pessoas estão envolvidas na proteção da biodiversidade, plantas medievais e produção de sementes orgânicas.

De 1991 a 1998 centenas de variedades crioulas foram plantadas em 30 acres de terra no Jardim Botânico de La Mhotte e Terra de Sementes na Auvergne, França.
A associação criou na França a sua própria rede de cultivadores de sementes orgânicas que produzem sementes de variedades crioulas que são vendidas em toda a Europa.
Está envolvida na luta pela segurança alimentar e no desenvolvimento da agricultura orgânica durável nos países de terceiro mundo.

Contando com 6000 membros, a associação tem o seu foco voltado nas doações de sementes : 150000 pacotes foram SAM 1534-400doados nos anos 2001 e 2002. Em 2012 lançaram a campanha « Sementes sem Fronteiras », convidando seus membros a cultivarem sementes em seus próprios jardins para posteriormente enviar para países que necessitem de boas sementes.

No ano passado foram realizados grupos de trabalho sobre a produção de sementes com pequenos agricultores da India, Sri Lanka, Nigéria, Senegal, Burkina Faso, México e Guatemala.
A realização mais importante da Kokopelli é o centro de sementes Annadora, no sul da India, um enorme espaço cercado por produção de sementes.

Os objetivos da Associação kokopelli são :

Promover doações de orgânicos e de sementes crioulas às obras de caridade e promover ações educativas para o resgate de sementes na luta contra a fome nos países pobres do Terceiro Mundo.
Ajudar comunidades rurais nos países do Terceiro Mundo a criarem centros comunitários de sementes, redes de resgate de sementes e grupos de produção de sementes orgânicas.
Promover nos EUA e em todo lugar no mundo, a criação de uma rede de cultivadores de orgânicos voluntários dedicados à produção de sementes crioulas para doação caritativa.
Promover parcerias com redes de resgatadores de sementes, ONGs e fundações internacionais envolvidas no crescimento da produção de alimentos, no aumento da nutrição e na busca de segurança alimentar preservando-se os recursos naturais.
Promover programas de educação e pesquisa em produção de sementes orgânicas, preservação de recursos genéticos, reflorestamento, criação de abelhas e jardins que praticam a agricultura de orgânicos durável através de grupos de trabalho, da publicação de boletins e livros e do web site.
Promover uma consciência de sementes: tradições de partilha e de resgate de sementes.

Diferente das outras ramificações de Kokopelli na Europa, a Fundação Sementes de Kokopelli não irá vender nenhuma variedade de semente orgânica crioula. Se você deseja comprar sementes crioulas, pode visitar o web site em Português da Associação Kokopelli no Brasil.

A nossa história da biodinâmica chegou ao final, levo comigo pra sempre, a imagem do amigo Christophe Donnet-Monay, que me ensinou e me mostrou os caminhos da biodiversidade consciente, da alimentação saudável e da filosofia da autonômia, em um mundo onde o consumismo vai destruir o nosso lar, o Planeta Terra.

Eu ganhei sementes da Kokopelli : Piment très Fort – Aurora, com certeza vou plantar na próxima primavera e participarei da biodinâmica dos alimentos.

Por enquanto vou fazer uma sopinha da enorme abóbora linda e saudável que Christophe colheu doseu jardim que aliás, tem variedades do mundo inteiro.

Aprecio e admiro as pessoas que fazem muito e de uma forma inteligente pela proteção da natureza. O meu convite à todos vocês amigos leitores, é de entrarem para o grupo de Christophe Donnet-Monay, os que dizem « não » aos alimentos industrializados e ao consumismo fútil e dizem « sim » a autonômia.

« Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome ».
Mahatma Gandhi

por Miriam Rey

Christophe Donnet-Monay – Agricultuer, Artisan ébéniste
Route des Giettes 13
Ch-1871 – Choex – Suisse
Tel +41 24 471 15 00
+41 79 449 49 00
cdm-ebeniste@bluewin.ch

Associação Kokopelli
www.kokopelli-suisse.com

(1) http://pt.wikipedia.org/wiki/Rudolf_Steiner

(2) http://pt.wikipedia.org/wiki/Antroposofia

1619348 778520628874890 2929982928912933779 n-40010456442 778519722208314 6367276203891909130 n-40010557396 778519362208350 4073380698212591748 n-40010561722 778518038875149 7104855137982457603 n-40010696184 778521915541428 4512205181768798879 n-400SAM 1373-400SAM 1074-400       IMG 1414-2-400