O ser humano conquistou muitas vitórias e derrotas ao longo de sua história, através da observação, experimentação e conclusão, a ciência evoluiu enormemente desde o « Homem da Caverna » até o « Homem Quântico ».

A pergunta que paira no ar é, se toda esse progresso será construtivo ou destrutivo ?. A natureza reclama a sua parte.

A tecnologia 5G abrirá caminho para a quarta revolução industrial graças a saltos de inovação que representam uma mudança tecnológica total. As conexões 5G são 10 vezes mais rápidas que as 4G atuais.

Graças a esse imediatismo, será possível assistir a conteúdos de realidade virtual com qualidades inimagináveis, como a televisão 8K.

Multiplica por 100 o número de aparelhos conectados com o mesmo número de antenas. Resolve assim o problema da cobertura em grandes aglomerações, como estádios de futebol e shows. Além disso, reduz também a uma décima parte o consumo de bateria dos dispositivos (alarmes, células ou chips), o que lhes dá mais autonomia para funcionarem durante anos.

O 5G e a inteligência artificial significarão bilhões de elementos conectados, enormes quantidades de dados e todos eles na nuvem. Mudará a forma de compartilhar arquivos, as compras on-line e a reprodução de conteúdos”, disse Cristiano Amon, presidente da Qualcomm, no Congresso Mundial do Celular (MWC19) em Barcelona.

Ren Zhengfei, fundador e presidente da Huawei, adverti ao mundo que a quinta geração da telefonia móvel, supostamente destinada a revolucionar a indústria e o cotidiano dos cidadãos do planeta, não pode se transformar em uma arma de destruição em massa, como, no seu entender, pretende a Administração de Donald Trump ao impor restrições à companhia chinesa.

Uma era quase perfeita em relação à comunicação, mas, porém, o lado escuro da tecnologia 5G é algo que os cientistas temem e alertam. Será que precisamos realmente de todo esse progresso que certamente tem o seu lado destrutivo ? Cabe a nós refletirmos.

São 20.000 satélites que serão colocados em órbita sobre as nossas cabeças. “A controvérsia crescente sobre a tecnologia 5G concentra-se em instalar milhões de pequenas torres de telefonia móvel em postes, em edifícios públicos e escolas, paragens de autocarro e em parques. Estima-se que nas comunidades urbanas haverá uma torre de células 5G aproximadamente a cada 150 metros ao longo de cada rua », afirmou o Dr. Goldenberg, cientista.

A exposição constante à radiação de radiofreqüência (RF) perto da fonte, o alarmante comprimento de micro- ondas dos novos satélites equipados com essa tecnologia, dita como a « maravilha do século », onde existirão cidades inteligentes, onde tudo e todos se conectarão instantaneamente em tempo real sem atrasos ou sinais perdidos, tem o seu preço.

A radiação enviada pela tecnologia 5G é focada em cada dispositivo específico encontrado na Terra e cada dispositivo irá enviar um feixe de radiação de micro-ondas para o satélite.

Esses raios de radiação são fortes o suficiente para penetrar nas paredes e na carne humana para alcançar o destino desejado. Isso significa que, se você estiver em um lugar lotado, como um aeroporto ou um trem, haverá centenas, se não milhares, de raios invisíveis de radiação voando pelo ambiente à velocidade da luz.
À medida que as pessoas se movem nesses ambientes, seus corpos serão penetrados por inúmeros raios de radiação enquanto andam ou quando outras pessoas andam em volta deles com seus smartphones 5G. Além disso, raios 5G de radiação de micro-ondas serão recebidos e transmitidos nos novos equipamentos de informática, eletrodomésticos e automóveis.

Equipamentos fixos, como centros de conexão Wi-Fi em residências e escritórios, podem usar feixes de micro-ondas 15 vezes mais fortes (300 watts) ou 150 vezes mais fortes que dos telefones 4G.

Quando um campo eletromagnético comum entra no corpo, ele faz com que as cargas se movam e as correntes fluam. Mas quando os pulsos eletromagnéticos extremamente curtos entram no corpo 5G, outra coisa acontece: cargas em movimento tornam-se pequenas antenas que irradiam novamente o campo eletromagnético e o enviam para o interior do corpo. Essas ondas irradiadas são chamadas de precursores de Brillouin. Eles se tornam importantes quando o poder ou a fase das ondas mudam rápido o suficiente.

Eu confesso que depois de fazer muita pesquisa sobre a tecnologia 5G, estou perplexa pela inteligência do ser humano e assustada com as suas consequências.

Por Miriam Rey