Enquanto na América Latina, o mês de julho é considerado a metade do ano e ainda há seis meses de espera para finalmente poder aproveitar das  merecidas férias, aqui no continente europeu este é o mês em que os patios dos colégios ficam silenciosos, as ruas da cidade parecem permanentemente no domingo e os parques estão cheios de famílias e turistas em busca de sombra e descanso.

Depois de um ano (2015-2016) de trabalho duro para fornecer a melhor informação possível, a redação do Hebdolatino.ch agradece pelo apoio e lealdade de nossos leitores e instituições que colaboram conosco.

O Hebadolatino.ch deseja a todos, boas férias, um bom descanso, muita tranqüilidade e paz para enfrentar um mundo cada vez mais complexo e violento, onde a insegurança se instala de forma permanente, para enfrentar os desafios de uma humanidade que é incapaz de resolver os seus problemas sem balas, sem sangue, sem bombas, com milhares de mortes e sofrimentos sem fim, principalmente uma infância massacrada e sem futuro, em nome de ideologias que promovem o ódio, a intolerância e a manipulação das populações, governadas por administraçãoes totalitárias que distorcem a democracia sob um discurso de identidade e de reforço da segurança.

Temos o privilégio de viver em Genebra, cidade multicultural, um exemplo de coexistência entre diferentes povos. Esse ambiente nos estimula a trabalhar cada vez mais e abrir o nosso projeto a todos aqueles que têm algo a dizer ou a contribuir para a melhoria do diálogo social, ao trabalho de integração  e devolver seu verdadeiro lugar na sociedade a cultura e a arte, marginalizados por uma sociedade materialista e financista, que considera os artistas e trabalhadores culturais como marginais e aproveitadores de um sistema obcecado pelo dinheiro e os lucros, enquanto a educação, a arte e a cultura são as melhores pontes para fomentar o diálogo entre os povos e são capazes de evitar  guerras inúteis e gastos militares desnecessários e enormes, que poderiam ser usados para construir escolas, universidades, hospitais, museus e não para semear destruição e morte.

Na segunda metade de 2016, tivemos a alegria de receber novos/as colaboradores/as que enriquecem a nossa equipa editorial: Marina Serra Jordana, Joëlle Coutama Arantzazu Lecumberri, Pedro Sanchez, Aurelie Batista, Razvan Prejbranu.

Marina, jornalista espanhola e co-fundadora do grupo: «Vamos conversar», que se reune uma vez por semana para discutir na língua francesa e promover a integração dos recém-chegados em Genebra.

Joëlle Coutama, redatora em francês, de origem haitiana e martinicana, com o seu sorriso do Caribe e uma formação jurídica orientada para os direitos humanos.

Arantzazu, Espanhola, dançarina contemporânea que estudou História da Arte.

Razvan Prejbeanu, de origem romena, diretor de marketing, em quem colocamos grandes esperanças para finalmente obter a autonomia financeira necessária que precisamos.

Aurelie Batiste, Franco-Portuguêsa, secretária, coordenadora, braço direito do diretor.

Pedro Sanchez, redator de crônicas que criam e estimulam a polêmica, que também é uma das missões do nosso jornal, que em um futuro próximo, estruturará um grupo dedicado ao jornalismo investigativo.

Cada novo elemento é uma grande riqueza para a nossa equipe  que conta com cinco jornalistas no exterior e para o qual eu escrevo estas poucas linhas para agradecer-lhes com todo o meu coração pelo trabalho e as contribuições dadas, a fim de melhorar o nosso jornal.

Primeiro, Eduardo Camin, que está conosco já há algum tempo, de origem uruguaia e residente em Genebra durante muitos anos, está atualmente escrevendo as páginas de crônicas do seu novo livro, nas areias quentes das praias de Barcelona.

Tony Bueno , residente peruano na Argentina. Nosso colunista esportivo.

Jean-Yves le Garec, francês de origem Breton, ou Breton de origem francesa nos ilumina cada semana com seu humor irônico e sua análise nitida que, magistralmente narra na língua de Molière.

Professor José A. Roca e suas análises econômicas diretas do Uruguai.

Gonzales Rolando Altamirano, chileno  residente no México  nos enriquece com as suas crónicas :» As coisas simples».

Eu também quero agradecer ao trabalho árduo de correção e tradução de Lourdes Barros.

Miriam Rey Bernardes, redatora- chefe da coluna em Português, que com suas crônicas, reportagens, entrevistas, sorriso e carisma, conquistou a comunidade brasileira em Genebra e na América Latina.

Um agradecimento especial a Presidente da Associação Suíça-América Latina e Webmaster, Mariela Cao, sem o seu trabalho titânico, este projeto nunca teria sido realizado

Aproveito também esta oportunidade para agradecer especialmente a Senhora Celi Vegas, do Hospice General, por todo o apoio, compreensão e cooperação essencial para a continuidade deste projeto, e pela oportunidade que nos dá para sermos capazes de alcançar um dos nossos principais objetivos: trabalhar no campo social, ajudando na criação de postos de trabalho e a integração de todos aqueles que chegam em Genebra, independentemente do lugar de onde eles vieram, porque nesta casa, todos  são bem-vindos, do momento que compartilhem conosco a nossa linha humanista, ecológica, de defesa dos  povos originarios, da justiça social e de uma sociedade harmoniosa, onde todos, independentemente de raça ou religião, encontram seu espaço, uma vez que somos todos iguais e unidos na mesma humanidade.

Obrigado a todos!

O Hebdolatino.ch continua o seu trabalho, sendo que a informação tal como o fluxo de um rio, não pára. Vamos tentar da melhor maneira possível, mantê-los informados sobre os caminhos do nosso planeta …  que pertence a todos nós!

Boas férias e descansem bem…!!

 

Alfonso Vásquez Unternahrer

Tradução do francês para o português por
Miriam Rey