por Miriam Rey

A seleção brasileira não jogou contra a Alemanha, ela assistiu o jogo e entrou em blackout tomando um gol atrás do outro.

Perdemos ? Sim ! É dolorido ? Sim ! O que vamos fazer ? Aprender que como no jogo e na vida é preciso trabalhar com consciência do todo, estudar querendo saber, olhar para frente deixando sementes e trilhas produtivas no caminho.

Alemanha do Kloses, do Schürrle, do Thomas Muller e da Angela Merkel.

A história dos Deutschland vem de longa data, 100 d.c, é a quarta economia do planeta, o segundo maior orçamento anual de ajuda ao desenvolvimento do mundo, tem um alto padrão de vida e estabeleceu um sistema global de segurança social, reconhecida como lider científico e tecnológico em vários domínios e… tem também o melhor goleiro do mundo de 2013 : Manuel Neuer. « Geradeaus »

E nós brasileiros, que infelizmente, olhamos impassivos a má administração e a corrupção de nossos governantes, que estamos sempre preocupados com os nossos umbigos e nem observamos a criança pobre vendendo balas no sinal de trânsito, que morremos nos corredores do hospitais, que acreditamos no bla bla blas de políticos mascarados, que vendemos nosso direito ao voto por quase nada. Gritar gol é alegria mas gritar por um Brasil melhor é convicção.

Perder faz parte da natureza humana mas perder por massacre é coisa do capeta, não quero ser crítica e nem ser dona da verdade, sinceramente o mundial 2014 deixou uma mancha feia na camisa 5 estrelas, nos 5 títulos mundiais e no maior vencedor das copas, ficando no laudo da história do futebol brasileiro, como o momento de mais baixo nível.

Para desastres não vamos colocar nomes : Fred, ausência de Neymar e Thiago Silva, na comissão técnica, o vexame foi coletivo, e serve como lição para aqueles que pensam que a ginga, o jeitinho brasileiro no país que tudo pode, poderia vencer uma Alemanha concentrada, técnica, entrosada e bem treinada.

Chorar é normal e faz parte das derrotas : David Luiz e os 200 milhões de brasileiros mas neste caso o choro foi compulsivo tanto quanto os gols que pareciam replays. A nossa fama de futebol arte, inventivo e vencedor foi pra baixo do gramado verde do Mineirão no dia da semi final da copa 2014.

#TemCopaAinda… A hermana Argentina bateu a Holanda por 4 x 2 nos pênaltis,
no dia 09.07, o segundo maior jogador do planeta e seus quatro títulos(2009, 2010, 2011e 2012), Lionel  Messi estavam presentes no Itaquerão. Mesmo existindo a velha rivalidade entre Brasil e Argentina de bolas passadas, temos que aplaudir e se possível dizer : Bravo Tchês dos Pampas.

A Argentina disputará o título de campeão com a Alemanha, domingo, 13.07 no Maracanã, que ganhe o melhor sob as bençãos do Cristo Redentor.

O país da copa não deve entrar em depressão, a bola continua a rolar até o apito final, sábado tem Brasil e Holanda no estádio Nacional de Brasília, espero ver a torcida brasileira pintada de Brasil, torcendo dentro do « clima copa ». O terceiro lugar significaria um momento êfemero do gritar gol no coração do gigante.

#AcopaNaoÉnossa mas vamos continuar a mostrar para as antenas planetárias, todas ligadas, que somos um povo que dá a volta por cima e prestigia com respeito e educação os adversários, os turistas e a torcida contra, dentro do espírito da união esportiva.