A questão da destruição da Amazônia, pode colocar o Brasil em maus lençóis, se caso o presidenciável Joe Biden seja eleito presidente dos EUA. O democrata pretende continuar com o raciocínio da política americana de não dividir o “Tema Ambiental” em esquerda ou direita.

Ele propõe US$ 2 trilhões contra à crise climática, investindo em energia renovável e combate aos gases de efeito estufa.

Joseph R. Biden foi vice-presidente nos dois mandatos de Barack Obama, entre 2009 e 2017. É considerado como centrista.

Biden é conhecido como « um meio de campo » capaz de agradar democratas e republicanos.  A pauta ambiental é uma das suas posições. Para decolar a sua proposta, o democrata absorveu pautas de Bernie Sanders, considerado de uma ala mais à esqueda dentro do próprio partido. Sanders é influente politicamente e defende o « The Green New Deal”.

O candido Biden absorveu o plano de Sanders e desenvolveu o próprio. Denominado : «Plano Joe Biden”, pretende usar 100% de energia limpa e zerar a emissão de gases poluentes até 2050.

Pretende pressionar os países que assinaram o Acordo de Paris e punir as empresas que investem em combustíveis fósseis e levar água limpa a todos os americanos.

A movimentação climática negativa feita por Trump deu a oportunidade a Biden para uma campanha verde que enfraquece os atuais aliados do presidente Trump, como, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, e cria laços fortes com potências econômicas como a Alemanha e França.

 Paralelamente, a pauta dá a Biden a chance de investir em tecnologia para restringir a influência política e econômica da China, conhecida pelos altos índices de poluição mundial.

Devido à destruição da Amazônia, o Brasil poderá pagar um preço bem alto, pela política má administrada de Jair Bolsonaro relativa às questões climáticas e ecológicas.

Cuidar da nossa casa, ou seja, do nosso Planeta é assegurar à sobrevivência das gerações futuras.

Por isso, vamos consumir menos, vamos andar mais de bicicleta ou a pé, vamos consumir local. Desapegando de tudo que não é necessário.

Somente mudando as nossas atitudes cotidianas, trocando o « ter » pelo  « ser », é que  poderemos continuar a viver aqui nessa dimensão, nesse tempo e espaço.

Por Miriam Rey