Durante reunião com o ministro do Supremo Tribunal (STF) Dias Toffoli nesta quinta-feira (6), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender a flexibilização do isolamento social tendo em vista a saúde da economia do país. “Nós temos um bem muito maior até a própria vida, se me permite falar isso, é a nossa própria liberdade”, afirmou.

“Nós devemos nos preocupar com vidas, sim, mas também com empregos, porque economia é vida. Em um país onde a economia não anda, a expectativa de vida vai lá para baixo, o IDH também. E nós queremos o Brasil ocupe o lugar de destaque que ele merece. Devemos tomar, todos nós, decisões, sejam criticadas ou não, mas bem-intencionadas, baseadas na nossa Constituição, respeitando a democracia e a liberdade”, afirmou o presidente.

No encontro, que contou com a presença do ministro da Economia Paulo Guedes e diversos empresários, Bolsonaro também disse que nas próximas horas assinaria novos decretos para flexibilizar a reabertura de alguns setores. “Com toda certeza farei isso.” Como exemplo dessa ação, o presidente citou a construção civil, já contemplada em decreto assinado pela manhã. “Devemos todos tomar decisões, sejam criticadas ou não”, declarou.

Paulo Guedes também falou com Toffoli e explicou o motivo que os levou até ali. Segundo ele, Bolsonaro foi o primeiro a apontar os riscos econômicos desse isolamento e a audiência realizada ao longo da manhã mostrou a necessidade de levar esses pontos até o STF.

Vale relembrar que a reunião não estava estava apontada na agenda oficial do presidente e que o o STF já havia decidido que prefeitos e governadores têm autonomia para decidir quais medidas adotar no enfrentamento da pandemia.

De acordo com a assessoria do STF, o encontro com Toffoli foi marcado de última hora e também não estava previsto na agenda do ministro.

Em

Brasil ultrapassa 135 mil registros de covid-19; mortes são mais de 9 mil

O Brasil chegou nesta quinta-feira (7) à marca de 135.106 casos confirmados do novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. O número de mortes foi a 9.146, ainda conforme o relatório.

Nas últimas 24h, foram 9.888 confirmações de infectados e 610 mortes atestadas pela doença, afirma o governo. O índice de letalidade é de 6,8%.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus causadores de doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem provocar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns, como a síndrome respiratório do Oriente Médio (MERS), a crises mais graves, como a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

https://www.brasildefato.com.br/

https://www.nodal.am/