Eis, aí, o arquétipo perfeito da loucura que permeia a mente perturbada da elite latino-americana.

Odeiam ser o que são, brasileiros, chilenos, bolivianos, e nunca poderão tornar-se, porque não dá para nascer de novo, o que sonham em ser, europeus, de preferência louros dos olhos azuis.

Solução para sua frustação existencial: negar aquilo que são e odiar a todos seus semelhantes, numa tentativa de criar um distanciamento entre eles e o objeto a que têm aversão, buscando, em vão, vender a imagem, para os outros e, embriagados em sua loucura, para si, de que são diferentes daquilo a que têm repulsa. Seria essa a razão de tanto ódio direcionado ao pobre, na política? Voilà a negação da realidade, a definição mais básica da loucura. Coitados...

HLVS

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn