Devido à pandemia do coronavírus e ao fácil contágio, Genebra decidiu ampliar as ciclovias para incentivar o uso de bicicletas pela população.

Cerca de dois mil ciclistas se manifestaram dia 18.05 na Plaine de Plainpalais, em Genebra, atendendo a um chamado divulgado pelas redes sociais, a partir da iniciativa de várias associações locais.

O cortejo começou na Avenue du Mail e na École de Médecine. Alguns minutos mais tarde toda a Plaine de Plainpalais era invadida pelos ciclistas que pediam a permanência das ciclovias colocadas provisoriamente à disposição das duas rodas.

No contexto do desconfinamento, a fim de evitar o contágio nos transportes públicos e o fluxo crescente de carros circulando, as novas instalações foram baseadas nos modelos de Milão, Bruxelas, Paris e Berlim.

As opiniões, no entanto, divergem e muitos automobilistas pressionam para recuperar o espaço agora destinado aos ciclistas.

 

Como observa um membro da associação actif-trafiC, uma dos organizadoras da manifestação, "a tinta nem está seca ainda, essas faixas temporárias já estão ameaçadas pelos automobilistas, que estão se mobilizando para removê-las".

O Conselho de Estado se reúne quarta-feira para decidir a questão.

Em defesa da manutenção das novas faixas cicláveis, uma petição lançada por diversas associações, como actif-trafiC, PRO VELO Genève, ATE, WWF, Mobilité Piétonne etc. reuniu cerca de 10.000 assinaturas em 24h. O documento reivindica às autoridades que disponibilizem outras vias para as bicicletas, em particular as ruas que levam ao centro da cidade, a exemplo de vários países no mundo.

A manifestação do dia 18.05 ocorreu sem muita confusão. A polícia de Genebra relata alguns atritos entre ciclistas e motoristas, bem como violações "em fluxos circulatórios com várias barreiras", em pontos em que os ciclistas tentaram bloquear os carros.

Eu estou de acordo, pois Genebra é uma cidade pequena e as distâncias são curtas, podemos perfeitamente nos locomover em bicicleta. Por que poluir o ar e enfrentar congestionamento de carros? Os tempos estão mudando e nós temos o dever de nos adaptar.

Eu digo SIM! Mais ciclovias e menos carros!

Por Miriam Rey

 

 

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn