O Tyanyan-5 é um dos 13 satélites que foram colocados em órbita como parte do lançamento do foguete Longa Marcha 6 no dia 06 de novembro.

Enquanto a maioria dos paises da Terra, dicutem e implantam a tão contraversa tecnonologia 5G para redes celulares de banda larga, os chineses estão muitos passos na frente ou atmosferas…. A China lançou recentemente um satélite 6G na órbita terrestre.

Segundo o jornal China Daily, afiliado ao Partido Comunista Chinês (PCC) – “No futuro imediato, os testes do satélite 6G terão problemas urgentes a resolver, que afetam a comunidade global. Os incêndios florestais estão aumentando enomemente, desvastando extensões de beleza natural, e causando um enorme custo humano em todos os lugares. O objetivo de alguns dos testes da tecnologia 6G é observar a melhor intensidade do sinal e velocidade de latência que o satélite possui, podendo ajudar a monitorar as mudanças climáticas em tempo real”.

A tecnologia 5G, que é considerada a quinta e mais recente geração de banda larga celular, ainda está em evolução. As redes 5G operam em frequências de ondas milimétricas entre 30 e 300 gigahertz, sendo entre 10 e 100 vezes superior em frequências do que a frequência celular 4G.

O Tyanian-5 fará observações da Terra e também testará uma carga útil de comunicação em teraheltz (Thz), ondas submilimétricas que ficam entre as microondas e a luz infravermelha no espectro eletromagnético, podendo atingir 100 gigabites por segundo de alta frequência, enviando dados muito mais velozes que o da 5G.

Entretanto, assim como as ondas milimétricas usadas na 5G, a radiação Thz é fortemente absorvida pelos gases da atmosfera. O mesmo problema limitará a aplicação do 5g e do 6G se eles usarem ondas THz.

Se a tecnologia 6G for amplamente colocada em prática, permitirá que baixemos um filme completo em segundos, aumentará a qualidade das chamadas de vídeos e auxiliará nas áreas do transporte e saúde.

Pensando aqui, o homem desenvolve tecnologias extraordinárias e incríveis, mas, será necessário?

Temos tanta informação nesse momento, talvez fosse bom dar um stop momentâneo e dedicar a nossa atenção à solidariedade e ao conhecimento interior. Preservando sempre a ecologia!

Por Miriam Rey