Selvagem é o meu outro lado

Contrários me perseguem

Entre ser flor e ser espinho

Respiro contradições

Às vezes iguais

Adaptando ciclos

Por dever sem querer

Louca realidade

Doce mania do estar

Incógnita ilusão do nascer de novo

Brilhante luz

Plantar e colher

Às vezes machucando

Em outras acariciando

Ser humanamente tantas

Secretamente apenas uma.

A luz do dia trouxe

POESIA!

Por Miriam Rey