Joe Biden, 46° presidente dos Estados Unidos da América, assumiu no dia 20.01.2021, a maior potência do mundo.

A cerimônia foi no Capitólio, onde aconteceram há duas semanas atrás, as invasões pelos extremistas de direita prós Donald Trump, que se recusavam aceitar os resultados da eleição.

« Agora neste solo sagrado, onde há apenas alguns dias a violência tentou chacoalhar as fundações do Capitólio, nos unimos como uma única Nação, sob Deus, indivisível, para fazer uma transição pacífica de poder como temos feito há mais de dois séculos ». « Aprendemos que a democracia é preciosa. A democracia é frágil e nesse momento, meus amigos, a democracia prevaleceu ». Afirmou o novo presidente.

Agradeceu aos ex-presidentes presentes, Baraka Obama, Bill Clinton, George Bush que participaram da cerimônia de posse. Donald Trump não compareceu, o que já se esperava.

Biden citou as minorias e a luta pelos direitos dos negros e mulheres. Ressaltando que o país não pode adiar as respostas às desigualdades sociais. Falou sobre a vice-presidente Kamala Harris, e a importância histórica, primeira mulher negra e descendentes de índios a ocupar esse cargo.

Lamentou as mortes pela Covid-19 e disse que o governo vai enfrentar desafios com a pandemia e a proliferação de supremacistas brancos e terroristas domésticos.

Apelou para a união de todos, democratas e republicanos, quer acabar com essa guerra não civilizada entre o povo dividido. Afirmou que vai governar para todos. Citou a onda de desinformação que os EUA está vivendo, afirmando que as mentiras estão sendo contadas por poder ou lucro, e que, a verdade deve ser preservada.

Aos 78 anos, Biden é o preseidente mais velho dos EUA, a assumir a Nação e o segundo católico entre os 46 presidentes.

Biden fez o seu juramento sobre a Bíblia, como é o costume americano e diante do presidente da Suprema Corte Americana, John Roberts. Assim como a vice-presidente Kamal Harris. Lady Gaga cantou o hino americano na cerimônia.

O Capitólio estava sob extrema vigilância contra atentados e violências.

Desde o século 19, houve ao menos 30 tentativas de assassinatos de mandatários no poder, récem saídos ou ainda por serem empossados. Em uma delas, o criminoso conseguiu matar o presidente dos EUA, John Kenedy. a mais recente em 1981, contra o republicano Donald Reagan, que foi levado as pressas para o hospital, o tiro perfurou um dos seus pulmões, porém, sobreviveu.

“Quais são os objetivos comuns que todos nós americanos temos e amamos ?

Oportunidade, segurança, Liberdade, dignidade, honra, respeito e verdade » – Joe Biden.

Democracia sempre !

Por Miriam Rey