Em 1º de agosto, a Suíça recorda-se da Carta Federal de 1291 dos cantões Uri, Schwyz e Unterwalden, na qual juraram ajuda mútua no caso de perigo iminente do exterior.

De acordo com a lenda, os representantes dos três locais fundadores – “os três confederados” – prestaram seu juramento na pradaria de Grütli junto ao Lago dos Quatro Cantões, onde juraram libertar seu país dos Habsburgos. O feriado nacional oficial ocorre em 1º de agosto neste local mítico, com um discurso do, ou da, presidente da Confederação Helvética dirigido ao país inteiro.

Por toda a Suíça são acesas fogueiras e são queimados fogos de artifício em 1º de agosto. Em muitos lugares, as crianças desfilam pelas ruas com lampiões com a Cruz Suíça e o brasão do seu cantão. E em todo o país, os políticos, desde os do Conselho Federal até o presidente da comuna, fazem seus discursos do feriado nacional.

Tudo começou…

Em 1291, quando o imperador Rodolpho de Habsburgo compra os direitos sobre a cidade de Luzern que fica na beira do lago Luzern, também conhecido como Lago dos Quatro Cantões.

Quatro meses depois, com a morte de Rodolpho de Habsburgo, esses outros três cantões que dividem o lago com Luzern, resolveram fazer um pacto pra se protegerem de prováveis disputas na sucessão, Uri, Schwyz e Unterwald (que depois se separou em Obwald e Nidwald) decidem redigir um pacto de proteção mútua e que também ditava as relações jurídicas entre os cidadãos dos três cantões. Na verdade, como é possível ler no próprio pacto, esse não era a primeira aliança desses três, mas um pacto para renovar a aliança já existente e eternizá-la, pois “as decisões registradas, tomadas no interesse e proveito de todos, se Deus assim consentir, durar eternamente, tomando como testemunha e confirmação o presente ato”.

Então… Com o tempo, esse documento acabou sendo perdido e só foi reencontrado no século XVIII.

 Até então, apesar da Suíça já existir meio que do jeito que ela é hoje, as comemorações eram locais até 1889, quando o Conselho Federal propõe a criação de uma festa nacional em todos os cantões e particularmente em Bern, onde a festa coincidiria com o 600º aniversario da cidade, mas aí o cantão de Schwyz reclama a sede do evento, porque afinal, o Pacto Federal teria sido assinado na cidade de Brunnen, no cantão de Schwyz. E como só se sabe que o Pacto foi assinado no começo de agosto, decidiu-se de celebrar no dia 1º.

Em 1891 acontece então a Festa Nacional pela primeira vez (e até então sem previsão de segunda), que dura dois dias com peças de teatro em Schwyz (capital do cantão), shows de música, iluminação das montanhas do entorno de Grütli e no restante da Suíça e no exterior, a festa teria rolado só no dia 1º.

O dia foi tão celebrado que em 1899, sob pressão dos suíços a data é oficializada e começa-se a celebrar todos os anos!

E o curioso é que 1º de agosto só se tornou feriado oficial em 1994, depois do lançamento da iniciativa popular — porque tudo aqui passa por plebiscito — em 1991 “Por um dia de Festa Nacional feriado” e aprovado em 1993 por votação.

Eu só tenho que agradecer as inúmeras possibilidades que a Suíça me proporcionou em ser e ter mais.

HOP SUISSE !

Miriam Rey