E todas as folhas desejam ser as “douradas mais bonitas”

Tons de todos os « Deuses Tons »

Refletindo a metamorfose dos amarelos quase marrons

Dos vermelhos antes verdes

Numa coreografia colorida perfeita

Cores de outono

E eu ? Encantada

Observo a mudança a minha volta

Despertando para novas imagens

Apreciando os contrários

Alimentando a minha alma de sutis emoções

A natureza se expõe

Agradecendo as estações

Obra de arte da criação

O inverno espera ansioso

A estreia da natureza nua

Os olhos de quem vê também

Pelos parques e florestas

Caminho o passo enfeitiçado

Da realidade cheia de beleza

Diferente e plena.

Por Miriam Rey