Ela é esperada como o sol depois de uma primavera mista. A praia de Eaux-Vives, com pelo menos 80% de sua superfície final, foi inaugurada no dia 22 de junho para a temporada, ou seja, até o dia 29 de setembro.

A infra-estrutura ainda não está totalmente concluída. Neste verão, o local permanecerá ativo, especialmente no lado náutico. “No outono, o trabalho será retomado para finalizar o saneamento fixo, portuário e restaurante”, disse Franck Pidoux, gerente de projetos do Departamento de Território.

A área balneária situa-se na extensão de Baby-Plage com uma grande enseada de areia, as outras três praias são de cascalho: “Um material especialmente calibrado para causar menos dor nos pés”, disse o responsável pelas obras.

Chuveiros estarão disponíveis em cada píer. Para chegar aos gramados, será suficiente subir a calçada de concreto que acompanha a praia e que terá fontes e equipamentos de socorro. Para compensar a falta de um restaurante, oito bicicletas de três rodas oferecem bebidas e lanches.

Mas não se engane. Neste verão, a praia não se parecerá com Copacabana. A praia está sujeita a um regulamento promulgado em colaboração com a cidade. E isso é restritivo. Assim, bicicletas, alto-falantes estéreo, grades, cachorros ou até barracas e mesas serão banidos.

“Apesar de estar perto de uma estrada movimentada, reina a serenidade neste local. Queremos que seja preservado “, conclui Franck Pidoux. A polícia vai estar presente sempre.

A história da praia de Eaux-Vives está longe de se assemelhar a um rio calmo. O projeto nasceu em 2008, liderado pelo vereador do Estado, Robert Cramer. Mas sua ideia foi tema da oposição, incluindo o WWF. A infra estrutura foi inicialmente planejada para 2013, mas somente em janeiro de 2017 as permissões de construção foram concedidas, após um acordo com o WWF. A Praia do Eaux-Vives tem seis anos de atraso.

Eu já fui nadar na nova praia, ficou linda e a cara do trabalho bem feito dos suíços.

Por Miriam Rey