Um grupo de indivíduos não identificados invadiu a residência privada do presidente do Haiti, Jovenel Moïse, e o assassinou

O presidente do Haiti, Jovenel Moïse, foi assassinado durante a madrugada desta quarta-feira (7), disse o primeiro-ministro interino do país, Claude Joseph, em um comunicado. Um grupo de homens armados teria invadido a residência oficial no bairro de Pelerin, em Porto Príncipe, atirando no presidente e na primeira-dama, Martine, que foi internada.

Joseph afirmou no comunicado que “um grupo de indivíduos não identificados, alguns dos quais falavam em espanhol, atacou a residência privada do presidente da República” por volta da 1h e “feriu mortalmente o Chefe de Estado”.

O premiê pediu à população “que se acalme” e afirmou que “a situação da segurança no país está sob o controle da Polícia Nacional haitiana e das Forças Armadas do Haiti”. “Todas as medidas estão sendo tomadas para garantir a continuidade do Estado e proteger a nação”.

O assassinato acentua ainda mais a grave instabilidade política que piorou há seis meses, quando Moïse decidiu se manter no poder, alegando que o seu mandato de cinco anos acabaria apenas em 2022, e remarcando as eleições legislativas para setembro.

A violência no país, de acordo com as Nações Unidas, atingiu “níveis sem precendentes”, em meio ao vazio político: na semana passada, em um ataque coordenado, pelo menos 20 pessoas, entre elas importantes figuras da oposição, foram mortas em Porto Príncipe. Agravando ainda mais a situação, o país não vacinou até agora nenhum de seus 11,26 milhões de habitantes contra a Covid-19.

Primeira-dama do Haiti morre após ataque a tiros que matou presidente

primeira-dama do Haiti, Martine Moise

A primeira-dama do Haiti, Martine Moise, morreu, aos 47 anos, após o ataque a tiros que matou seu marido, o presidente haitiano, Jovenel Moise, na residência privada dele

A primeira-dama do Haiti, Martine Moise, também morreu após o ataque a tiros que matou seu marido, o presidente haitiano, Jovenel Moise. A informação foi divulgada pelo primeiro-ministro interino do país, Claude Joseph. De acordo com o prêmie, Moise faleceu em um hospital da capital horas após levar um tiro. Jovenel tinha 53 anos e Martine, 47. 

Homens armados invadiram a residência oficial do presidente no bairro de Pelerin, em Porto Príncipe, capital do país.

A cidade vem sofrendo nos últimos anos um aumento na violência. Gangues lutam entre si e contra a polícia, pelo controle das ruas. 

A oposição acusava o presidente de governar sem o controle do Legislativo, desde o ano passado. Já ele dizia que ficaria no cargo até o dia 7 de fevereiro de 2022. 

https://www.brasil247.co