Posso dizer que temos muita sorte em viver numa cidade banhada pelas águas cristalinas do Rhône. Genebra resplandece e se torna mais bonita nos dias de verão, refrescando os corpos em mergulhos na beira do rio, uma beleza verde-esmeralda.

Um pouco de história sempre é recomendado para sabermos onde estamos.

Rhône é um rio da Europa com 812 quilômetros de extensão (um terço na Suíça e dois terços na França).

Tem sua nascente na geleira do Rhône, na Suíça, a uma altitude de 2.209 m, no extremo leste do Valais, no maciço dos Alpes Uranaises. Viaja 290 km na Suíça, lançando-se no lago Leman para sair em Genebra. Entra na França, onde percorreu 522 km3, de acordo com a Enciclopédia Larousse, ou 545 km, de acordo com o SANDRE4. Termina o seu percurso no delta de Camargue (França) para desaguar no mar Mediterrâneo. Port-Saint-Louis-du-Rhône é a última cidade atravessada pelo rio.

Em termos de fluxo, de todos os rios que fluem no Mediterrâneo, o Rhône é o segundo depois do Nilo. Terminando seu curso em um mar sem marés, o rio forma um delta com braços que se moviam amplamente de oeste para leste durante muito tempo. Hoje represado, seu delta está congelado, exceto durante inundações excepcionais como em 1993, 1994 e 2003.

Ele, às vezes, é identificado com Eridanus, que é o nome de um deus do rio na mitologia grega, filho de Ocean e Thetys.

Os habitantes de Genebra são privilegiados, e, realmente é um paraíso de poder frequentar a floresta em volta do Rhône e banhar-nos nas águas revigorantes desse gigante da natureza.

Todos somos mais felizes com a presença do rio Rhône no pedaço.

Por Miriam Rey