Os novos tempos continuam sendo velhos e abusados tempos. Dentro do contexto da crise sanitária, a violência diária continua a existir.

Violências domésticas, comportamentos inapropriados no espaço público ou ainda, o assédio em linha, as mulheres ou outros gêneros são expostos no cotidiano à diferentes formas de agressões sexistas. O confinamento piorou a situação e o período que estamos passando também não apresenta melhoras, pelo contrário.

As redes ativas na prevenção da violência e acompanhamento das vítimas, se mobilizam desde o começo da crise para assegurar proteção e sensibilizar a população.

O Bureau de promotion de l´égalité et de prévention des violences du Canton de Genève, lançou uma campanha, colocando à disposição números de urgências e recursos essenciais no caso de violência.

Pode ser baixado site do Canton e está sendo divulgado em locais públicos, como, lojas e farmácias.

As associações também se mobilizam, acompanhando às vítimas, prevenção e coleta de dados pessoais. AVVEC, Viol-Secours, F-Information ou ainda, l´AJP continuam ativas na ajuda contra à discriminação sexista. Ainda, Eyes Up ou instagram_geneve oferece a possibilidade de denunciar ou testemunhar experiências negativas vividas no espaço público ou privado.

Uma atenção particular ao grupo LGBT, as pessoas lesbianas, gays, bissexuais, transgêneros, intersex e queers (LGBTIQ) são muito afetados pela situação, jovens que estavam confinados com famílias hostis, isolados, pessoas trans em ruptura do tratamento ou a cargo de cuidados medicos.

Os recursos institucionais e associativos se adaptam para continuar fornecendo as respostas adaptadas para situações múltiplas.

Vamos respeitar uns aos outros, não importando o sexo.

Não à violência !

Para maiores informações ligadas ao tema, violência sexista, homofóbico e transfóbico, entrem no link :

https://bit.ly/3bzO5BI

Violência doméstica :

Telefone 0840 110 110

www.violencequefaire.ch

Em caso de urgência :

Polícia 117

Por Miriam Rey